GINÁSTICA LABORAL
Janz-05-2007
GINÁSTICA LABORAL
Dicas interessantes para lidar com os males físicos frutos da rotina de trabalho

Por Alexandre Peconick (texto e Fotos)

Um exercício de ginástica laboral de alongamento da coluna
 
Profissionais que trabalham em escritórios passam hoje praticamente um terço de suas vidas em ambiente fechado, cometendo erros involuntários de postura e, praticamente, sem realizar nenhum exercício físico. Aliado a isso, esses profissionais têm que lidar com a pressão do dia-a-dia de trabalho, que incluem cobranças dentro e fora do escritório. Resultado quase que previsto: adquirem lesões nos músculos ligamentares, as chamadas D.O.R. T (Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho) além de problemas de coluna, entre outros. As mãos tremem ou as costas doem ou as pontadas são nas pernas e pés, gerando tendinites.

A quantidade de trabalhadores portadores de D.O.R.T. aumentou assustadoramente já em meados do século 20, o que provocou igual aumento do número de faltas ao trabalho e reduziu a performance daqueles que ficaram trabalhando. Como solucionar isso? Com origem asiática ainda no século 19 e reflexos no Brasil a partir da década de 30 do século 20, surge como alternativa para se evitar e reduzir as D.O.R.T. a ginástica laboral. Trata-se de uma ginástica de pausa, orientada por Professor de Educação Física, que ocorre antes, durante ou após o trabalho. O ideal é que aconteça no próprio local de trabalho em duas ou três sessões semanais de 10 a 15 minutos cada.

“Muitas empresas que colocam academias em suas sedes acham que isso é ginástica laboral, mas não é”, alerta a Professora e Mestre em Ciências da Saúde, Daniele Kallas. “A ginástica laboral é uma pausa de compensação que alivia o estresse, mas ela, sozinha, não dá condicionamento físico a uma pessoa. A ginástica laboral deve ser um dos itens de um programa de qualidade de vida dentro de uma empresa, que também deve incluir programa de gestão do estresse no trabalho, programa de orientação nutricional, de apoio à maternidade, entre outros”, conclui Daniele Kallas, autora e organizadora do “Guia Brasileiro de Práticas Corporais e Qualidade de Vida no Trabalho”, publicação da ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento) em parceria com a ABQV (Associação Brasileira da Qualidade de Vida).

Na ginástica laboral há alongamento de braços e pernas, exercícios de resistência muscular para todos os grupos musculares, exercícios localizados e exercícios de respiração.

Também Sócio-Diretora da ECOS – Educação Corporal e Saúde (empresa especializada em programas de qualidade de vida, saúde e educação – informações no site www.ecos-ecos.com.br) pela qual implementou programas de qualidade de vida em empresas como GE (General Eletric), SESI, Banco HSBC, Sebrae, entre outros, a Profª. Daniele é uma das fontes desta reportagem do SITE DO GRUPO LET que aborda a ginástica laboral, inserida em um contexto de educação e programas de qualidade de vida, hoje fundamental a qualquer empresa.
 

Licenciada em Educação Física pela USP (Universidade de São Paulo),
a Profª. Daniele Kallas também é formada em Stretching Global Actif (SGA)
– em português “Alongamento Global Ativo” uma técnica semelhante ao RPG (Reeducação Postural Global) – pela Universite Internationale Permanente de
Therapie Manuelle (UIPTM), na França e reúne 15 anos de experiência em
programas de Qualidade de Vida
 
No intervalo do trabalho,... pausa para uma ginástica

Segundo a Profª. Daniele, como a ginástica laboral pode trabalhar vários grupamentos musculares o ideal é que se faça um planejamento mensal em cada empresa de forma que em cada semana seja trabalhado um grupo muscular diferente (ex: braços, ou grupos superiores, pernas, ou grupos inferiores, cabeça e tronco).

Pode-se fazer exercícios de compensação para erros de postura lombar (costas), abdominais sentado na cadeira de trabalho, alongamentos de pés e panturrilhas de pé, entre outros. Outros bons exercícios para evitar inflamações são os de mobilidade articular, nos quais se deve movimentar as articulações até o limite que elas permitirem – pode ser feito com punhos, ombros e tornozelos, por exemplo. Existem exercícios específicos de alongamento para várias articulações. Estes exercícios trazem como benefícios o aumento da temperatura corporal e aumento do fluxo de líquidos nessas regiões, o que aprimora os reflexos e a coordenação motora no trabalho.

Normalmente em 15 minutos de ginástica laboral se consegue fazer de cinco a seis exercícios com três a quatro repetições de cada um desses exercícios. Para executivos ou trabalhadores que fiquem o dia todo sentados em uma cadeira de escritório o ideal é realizar a ginástica na pausa de meio dia, antes do almoço.


Ioga e tai-chi-chuan são as novidades na ginástica laboral

Como hoje em dia tudo se globaliza e nada se restringe a ambientes, existe até uma tendência; “e o ideal é que continue assim”, ressalta a Profª. Daniele, de que as pessoas possam fazer a ginástica laboral sozinhas e que a encarem como educação e não como obrigação. Em meio a tantos exercícios já conhecidos, existem algumas empresas implantando novidades na ginástica laboral, como intervenções de movimentos de ioga e de tai-chi-chuan. Esses exercícios ajudam a alcançar o equilíbrio e aumentar a circulação sangüínea, contribuindo para evitar males como varizes e entupimentos de veias e artérias.

Movimentos como elevação do ombro, sua projeção para frente e para trás ajudam a melhorar essa circulação do sangue. Para o pescoço, flexione-o para frente e para trás, também de um lado para o outro e por fim um grande movimento circular da cabeça (circundução). Para exercitar o tronco, espreguice-se (flexão para trás), dobre-se (flexão para frente) e incline-se flexionando lateralmente. Faça os movimentos gentil e lentamente. Depois de algum tempo fazendo exercícios com disciplina seu organismo vai agradecer.

Mas...apesar dos progressos e novas práticas em direção à melhor saúde, infelizmente o nível de sedentarismo dos profissionais de escritório tem aumentado demais nos últimos 20 anos. A Profª. Daniele Kallas acredita que a maior parte dos males físicos crônicos é fruto do somatório do estresse mental e físico de pessoas com falta de autonomia sobre o próprio trabalho.

Para se evitar males causados pelo esforço repetitivo o ideal para quem trabalha, por exemplo, em um escritório em frente ao computador é fazer uma pausa a cada 10 minutos. “Nessa pausa a pessoa deve levantar-se, relaxar, procurar fazer exercícios com as mãos em sentido contrário aos da digitação em teclado, com cada um dos dedos, esticar as pernas e, se possível, realizar até mesmo exercício de respiração. Nas mãos, por exemplo, o exercício que previne lesões é o do repetitivo alongamento de cada um dos dedos para trás e o de apertar com as mão bolinhas de borracha”, ensina a Profª. Daniele.


Ginástica laboral incentiva início de uma vida mais saudável

Análises de publicações científicas brasileiras sobre ginástica laboral revelam bons indicadores por aqui de diminuição da dor e do índice de sedentarismo em empresas que adotaram programas de qualidade de vida que incluem a ginástica laboral. Em confirmação a estes conceitos, um recente estudo publicado pelo Ministério da Saúde com empresas que incluem ginástica laboral em seu dia--dia, mostra os seguintes indicadores: Produtividade - aumento de 2 a 5%; Acidentes - redução de 20 a 25%; Turnover (entrada e saída de funcionários) - redução de 10 a 15%; Faltas ao serviço - redução de 10 a 15%.

O mesmo estudo identificou benefícios comuns obtidos nas empresas, como melhora da integração entre os colaboradores e do clima organizacional; diminuição do afastamento por doenças músculo-esqueléticas; diminuição do número de faltas ao trabalho (absenteísmo); melhora do atendimento ao cliente externo. Há indicativos também de que uma ginástica laboral bem aplicada (nas bases da educação) motivou colaboradores de empresas a investir tempo na prática de esportes fora do trabalho e diminuíram o nível do sedentarismo. Profissionais sedentários.


Escadas do prédio também ajudam na ginástica

De acordo com a maior parte dos especialistas em ginástica laboral, sair da zona de conforto e utilizar escadas pode ser uma dica interessante. Em relação às pernas, utilize as escadas sempre que se locomover por alguns andares, promovendo uma melhor circulação. Além dos benefícios cardiovasculares, alcançados até mesmo em pequenas distâncias, você estará aumentando seu gasto calórico, importante fator na manutenção da saúde.

Já para funções específicas há exercícios específicos. Se você trabalha ou passa muito tempo diante de um computador, por exemplo, deve realizar uma pausa periódica para olhar e focalizar objetos distantes, aliviando a visão. Também deve realizar exercícios de alongamento para as mãos e antebraços, evitando sobrecarga por digitação ou utilização do mouse: Estenda o braço à frente, deixando a mão relaxadamente caída para baixo. Com a outra mão, puxe gentilmente os dedos para baixo na direção do seu quadril, com as costas da mão voltadas para a tela do computador, por 20 a 30 segundos, para alongar a musculatura posterior de seu antebraço.

Puxe a mão relaxada agora para cima, em direção à sua cabeça e com a palma da mão voltada para a tela do computador, para alongar a musculatura anterior da mão e antebraço. Repita, realizando os mesmos exercícios para o outro braço.

Mas se você, mesmo com tudo isso ainda considera insuficiente a ginástica laboral para si mesmo, então converse com os gestores de sua empresa sobre a necessidade de contratar um profissional (Professor de Educação Física) que desenvolva um trabalho mais direcionado. Boa saúde e bons trabalhos!

Consulte bons sites sobre o tema:
ECOS – Educação Corporal e Saúde – www.ecos-ecos.com.br
ABQV – Associação Brasileira da Qualidade de Vida – www.abqv.org.br
Saúde em Movimento – www.saudeemmovimento.com.br

 
Relação dos principais benefícios da ginástica laboral

Para que nosso internauta tenha uma compreensão realmente clara e didática sobre o tema “ginástica laboral”, relacionamos aqui os principais benefícios desta prática cada vez mais usual nas empresas que querem estar entre as melhores para se trabalhar.

Fisiológicos
  • Possibilita melhor utilização das estruturas osteo-mio-articulares, como maior eficiência e menor gasto energético por movimento especifico
  • Promove o combate e prevenção das doenças profissionais
  • Promove o combate e prevenção do sedentarismo, estresse, depressão, ansiedade...
  • Melhora da flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e a resistência, promovendo uma maior mobilidade e melhor postura
  • Promove a sensação de disposição e bem estar para a jornada de trabalho
  • Redução da sensação de fadiga no final da jornada
  • Contribui para a promoção da saúde e da qualidade de vida do trabalhador
  • Propicia através da realização dos exercícios características preparatórias, compensatórias e relaxantes no corpo humano
  • Bem como os principais benefícios fisiológico relacionados ao exercício sobre o sistemas cardíaco, respiratório, esquelético, entre outros bem documentados nas evidências científicas


    Psicológicos
  • Motivação por novas rotinas
  • Melhora do equilíbrio biopsicológico
  • Melhora da auto-estima e da auto-imagem
  • Desenvolvimento da consciência corporal
  • Combate as tensões emocionais
  • Melhora da atenção e concentração as atividades desempenhadas
  • Sociais
  • Favorece o relacionamento social e trabalho em equipe
  • Melhoria das relações interpessoais


    Empresarias
  • Redução dos gastos com afastamento e substituição de pessoal
  • Diminuição de queixas, afastamentos médicos, acidentes e lesões
  • Melhoria da imagem da instituição junto aos empregados e a sociedade
  • Maior produtividade
  •  
    BATE PAPO COM A PROFª. DANIELE KALLAS
    DICAS AOS GESTORES DE PESSOAS SOBRE PROGRAMAS DE QUALIDADE DE VIDA


    A Profª. Daniele Kallas deu uma atenção especial durante a entrevista ao SITE DO GRUPO LET à abordagem que os gestores de pessoas devem dar aos programas de qualidade de vida.

    SITE - Você também trabalha com os chamados “multiplicadores”, que são funcionários da empresa capacitados para coordenar a ginástica com os demais funcionários?
    DANIELE KALLAS - Não. De forma alguma! Aos gestores de pessoas eu alerto: Cuidado! Acho extremamente errado errado alguém capacitar pessoas para treinar outras da mesma empresa em ginástica laboral. Inclusive isso é ilegal. Orientar pessoas a fazerem exercícios é um instrumento de educação e que só deve ser passado por professores de educação física.

    SITE – O que os gestores de pessoas de cada empresa deve saber sobre quem vende serviços de ginástica laboral?
    DANIELE KALLAS - O fundamental é que o prestador de serviços em ginástica laboral tenha coerência entre aquilo que está propondo a fazer ou a trazer como resultado da ginástica laboral (por exemplo: aumento de produtividade; redução do absenteísmo por motivação; aumento da satisfação no trabalho). Ele deve deixar claro para o gestor de pessoas daquela empresa como ele vai desenvolver o trabalho e como ela vai apresentar os resultados daquele trabalho. Se o foco for, por exemplo, buscar a satisfação dos funcionários, o professor de ginástica laboral deve propor uma pesquisa de clima associada aos fatores de saúde no trabalho.

    SITE - Que projetos de ginástica laboral para empresas você desenvolve atualmente, cite as vantagens de alguns deles em relação ao negócio de cada uma das empresas?
    DANIELE KALLAS - O programa de Qualidade de Vida no Trabalho dá retorno se aplicado de forma abrangente. Temos indicativos financeiros de que para cada dólar investido em programa de qualidade de vida retornam para a empresa de cinco a seis dólares, que vem em economia com gastos médicos, melhora da produtividade, entre outros fatores.

    SITE - Quais são os prejuízos que uma empresa pode ter ao negligenciar a prática da ginástica laboral no momento em que esta se faz extremamente necessária?
    DANIELE KALLAS - A empresa não retém talentos, pois as pessoas procuram empresas que cuidem delas. Não apenas os melhores profissionais têm esse tipo de atitude, mas praticamente todos os profissionais. No ranking das melhores empresas para se trabalhar 100% delas se preocupa com os programas de qualidade de vida. A negligência também gera aumento de absenteísmo e diminui muito a satisfação do colaborador.

    Notícias
    VER TODAS AS NOTÍCIAS
     
    Blog Corporativo: po...
    Grupo LET ganha Prê...
    CONARH 2010 – ..
    CONARH 2010 – PE...
    CONARH 2010 – Jo...

    Artigos
     
    Artigo de Julho / 2007
    Artigo de Maio / 2007
    Artigo de Março / 2007
    Artigo de Fevereiro / 2007
    Artigo de Janeiro / 2007
    Artigo de Novembro / 2006
    Artigo de Setembro / 2006
    Artigo de Agosto / 2006
    Artigo de Julho / 2006
    Artigo de Junho / 2006

    Portfolio
        Início do “vôo solo”
      Nasce a LET
      Filiais
      São Paulo
      Projeção para o futuro
     
    MembroOficial:
    ^ acessar o site
    || ||     São inúmeras as oportunidades oferecidas pelo Grupo Let. Não perca tempo!                                                                                                                                                                                     Faça logo seu cadastro em nosso Banco de Oportunidades e Talentos.                                        
     
    Webstaff  ::  www.imailer.com.br ^ NPA ^ Rh Nacional